Pacientes oncológicos ou com osteoporose precisam de check up odontológico antes de iniciar o tratamento

A OSTEONECROSE DOS MAXILARES ESTÁ ASSOCIADA AO USO DE BIFOSFONATOS

Os bifosfonatos são utilizados no tratamento da osteoporose e no controle da progressão do envolvimento ósseo por câncer, especialmente mieloma múltiplo e neoplasias metastáticas de mama e próstata. O risco de desenvolvimento de necrose óssea é proporcional à forma de utilização e à potência relativa dos medicamentos, sendo que o zolendronato e pamidronato apresentam maior risco.

Essas drogas apresentam níveis baixos de excreção e possuem elevada adesão ao tecido ósseo, seus efeitos podem perdurar durante anos, mesmo após a suspensão de uso. Como consequência, dificulta a formação óssea (remodelação), limitando alguns procedimentos odontológicos.

As áreas de necrose óssea nos maxilares geralmente ocorrem após cirurgias dentárias, como as exodontias, mas o quadro pode surgir espontaneamente ou motivado por doença periodontal ou trauma por próteses mal adaptadas.

O tratamento endodôntico tem sido sugerido como uma alternativa para as exodontias com o intuito de prevenir o desenvolvimento de osteonecrose, em alguns casos pode ser associada à cirurgia perirradicular, na tentativa de “salvar” o dente e evitar procedimentos mais invasivos.

O tratamento da osteonecrose envolve manobras conservadoras, incluindo antibioticoterapia e remoção das áreas de osso necrótico. Os procedimentos cirúrgicos mais amplos estão reservados para situações específicas, nas quais o tratamento conservador não chegaria ao resultado desejado.

O ideal para estes pacientes é fazer o CHECK UP ODONTOLÓGICO prévio ao início da terapia com bifosfonatos, para que os procedimentos cirúrgicos e a adaptação das próteses sejam realizadas antes que os efeitos no osso alveolar ocorram.

Endodontia é tema de entrevista na Teresina FM

A especialista, Mestre e Doutora em Endodontia, Maraísa Delboni, em entrevista na Teresina FM 91,9, afirmou que a população não pode esperar sentir dor para procurar o dentista. Ela está promovendo cursos de imersão voltados para a atualização de especialistas com aulas teóricas e práticas.
Maraísa Delboni é endodontista e falou sobre o tratamento de canal, que os pacientes têm medo da dor, do barulho da broca e não procuram o profissional com regularidade. “A maioria só procura o dentista quando tem cáries, sente dor ou outros sintomas”, comentou a profissional.
A dentista desenvolveu um site para transmitir as informações úteis e as normas de conduta aos alunos interessados nos cursos de imersão em Endodontia da Delboni Dental Office. “São cursos com práticas para se atualizar com aulas imersivas”, frisou.

Segundo Maraísa Delboni, o profissional deve atuar com interação com o paciente para explicar os procedimentos, mostrar o material e as novas tecnologias para tranquilizar esse paciente. Ela comentou ainda que o custo do tratamento dentário se dá pelo uso do material e que as ações são mais curativas do que preventivas, e isso aumenta o custo. “A prevenção é a melhor saída”, finalizou.

Confira um trecho do vídeo da entrevista:

Meeting é realizado com sucesso

O 3º Meeting de Endododontia do Piauí, realizado dia 5 de novembro de 2018 no Manhattan River Center pela Delboni Dental Office foi um sucesso. O evento trouxe grandes nomes da endodontia para discutir e trocara experiência sobre temas atuais da área.
Confira as fotos do evento.

Novo cimento endodôntico bioativo favorece o reparo de lesões periapicais

O cimento endodôntico lançado recentemente pela renomada empresa brasileira Angelus traz um produto com características novas como a BIOATIVIDADE, ou seja, ação biológica dada pela presença do Cálcio livre, que reage com os tecidos levando à regeneração biológica e reparo das lesões.

O novo cimento é pronto para o uso, facilitando muito o momento da obturação dos canais radiculares e além disso está indicado para o Tratamento de Reabsorção Interna.

 

 

 

Suas CARACTERÍSTICAS mais importantes são:

  • NÃO MANCHA A ESTRUTURA DENTAL pois o radiopacificador é o Oxido de Zircônia.
  • Tempo de trabalho: 60 minutos;
  • Tempo de presa: 120 minutos após inserção no canal, de acordo com a norma ISO 6876;
  • Observação importante: a umidade proveniente dos túbulos dentinários iniciará a reação de presa do material;
  • Antibacteriano e bacteriostático pela alta alcalinidade – pH 12,5;
  • Alta radiopacidade: 7mm da escala de alumínio, de acordo com a norma ISO 6876;
  • Não sofre contração de presa;
  • Pode ser utilizado, além das técnicas convencionais, nas técnicas de cone único e obturação termoplástica.

PROPRIEDADES:
– Biocompativel
– Bioativo
– Alto escoamento
– Não resinoso
– Ausência de descoloração
– Fácil limpeza
– Fácil aplicação
– Liberação de cálcio
– Alto pH
– Radiopaco
– Hidrofílico

A palestrante Profa. Dra. Patrícia Ferrari estará pela primeira vez em Teresina para mostrar sua experiência clínica e científica relacionada aos novos materiais que a Endodontia moderna apresenta para melhorar o índice de sucesso da terapia endodôntica.

Pesquisa sobre microbiologia endodôntica recebe premiação na SBPqO 2018

O grupo de pesquisa sobre Microbiologia Endodôntica, sob a orientação da Profa. Dra. Brenda Paula de Almeida Gomes, o qual a Profa Dra. Maraisa Delboni participa desde 2002, recebeu PREMIAÇÃO na SBPqO com o trabalho apresentado pela Dra Priscila Amanda Francisco, intitulado: Expressão proteica da patogenicidade microbiana e resposta imune do hospedeiro no insucesso endodôntico. Os achados podem indicar uma interação complexa entre o sistema imune do hospedeiro e a infecção endodôntica.

Sobre a SBPq
A Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica – SBPqO, é uma Associação que representa a Divisão Brasileira da International Association for Dental Research – IADR. Atualmente é a maior divisão na América Latina e uma das mais representativas da IADR no mundo. As Reuniões Anuais da SBPqO se consolidaram como o evento mais importante em pesquisa do país, na área da Odontologia com cerca de 4000 participantes anualmente, com representantes de todos os estados brasileiros. Participam alunos de graduação, pós-graduação, professores e pesquisadores, esses participantes se caracterizam por serem os atuais formadores de opinião no Brasil. A Reunião é planejada, realizada e mantida por sócios que acreditam no mesmo ideal: o incentivo, o desenvolvimento e a divulgação da pesquisa científica odontológica.

Resumo do Trabalho

Expressão proteica da patogenicidade microbiana e resposta imune do hospedeiro no insucesso endodôntico
Priscila Amanda Francisco*, Maraísa Greggio Delboni, Augusto Rodrigues Lima, Yizhi Xiao, Walter Luiz Siqueira, Brenda Paula Figueiredo de Almeida Gomes.

O rastreio proteômico de comunidades microbianas é importante por fornecer uma visão sobre os mecanismos de patogenicidade e interações entre microrganismos do canal radicular e hospedeiro na persistência ou ressurgimento da periodontite apical. O objetivo deste estudo foi caracterizar o proteoma de 20 canais radiculares de dentes com insucesso do tratamento endodôntico por espectrometria de massa. Vinte pacientes com periodontite apical e necessidade de retratamento endodôntico foram selecionados. Amostras do conteúdo do canal radicular foram coletadas e processadas por cromatografia líquida bidimensional capilar nano-flow e espectrometria de massa tandem de ionização por electrospray. Os espectros adquiridos foram pesquisados ​contra banco de dados de proteínas específicas (Swiss PROT e TREMBL). A maior prevalência de proteínas encontradas estava relacionada às funções biológicas, como processos celulares e metabólicos. Um número considerável de proteínas microbianas com relevância clínica funcional como patogênese/virulência, proteólise, adesão celular e resistência a drogas, foi encontrado. Patógenos endodônticos comuns relacionados ao insucesso do tratamento endodôntico tais como Enterococcusspp; Propionibacterium spp; e Streptococcusspp, foram associados com 23; 40; e 94 proteínas distintas, respectivamente. Em relação as proteínas humanas, foram detectados vários fatores relacionados ao processo do sistema imunológico. Esses achados podem indicar uma interação complexa entre o sistema imune do hospedeiro e a infecção endodôntica.

(Apoio: FAPESP 15/23479-5, 15/19215-2, 16/19743-1; CNPq 308162/2014-5, 140944/2017-6; CAPES).

Keywords:  bacteria, proteomics, periapical periodontitis

MTA REPAIR HP traz inovações para o tratamento de complicações em endodontia

O MTA REPAIR HP é um cimento endodôntico reparador pronto para o uso, de alta plasticidade. É indicado para o tratamento de perfurações radiculares (canal e furca) iatrogênica ou por lesão de cárie, perfuração radicular por reabsorção interna, retrobturação em cirurgias parendodônticas, proteção pulpar direta, pulpotomia (permanentes e decíduos), apicificação e apicigênese, selamento intracoronário para clareamento dental interno e selamento apical via canal (plug) prévio a obturação radicular em dentes com abertura apical ampla.

O MTAORIGINAL(Agregado de Trióxido Mineral) tem seu uso consagrado na Endodontia em virtude dos resultados clínicos comprovados por inúmeros trabalhos científicos. Porém devido às propriedades físicas inerentes ao pó do produto, a consistência “arenosa” dificulta a manipulação e o carreamento do material até a cavidade de reparo. Para melhorar essa característica foi desenvolvida uma nova formulação chamada MTA REPAIR HP (Cimento reparador biocerâmico de alta plasticidade). Essa nova fórmula mantém todas as propriedades químicas e biológicas do MTA ORIGINAL, porém com alterações nas propriedades físicas. O resultado é um produto de fácil manipulação e inserção na cavidade de reparo.

Vantagens:

  • Nova fórmula cujo tamanho das partículas após hidratação permitem uma melhor assimilação pelos tecidos e um processo de cura mais rápido.
  • Fácil manipulação e inserção na cavidade dental.
  • Adição de radiopacificador que não causa manchamento da raiz e coroa dental.
  • Baixa solubilidade.
  • Impede o crescimento bacteriano.
  • Excelente capacidade de selamento marginal pela expansão controlada de presa.
  • Excelente vedamento de perfurações radiculares (canal e furca) ao induzir a formação de cemento periradicular.
  • Indução da formação de barreira dentinária quando usado sob exposições pulpares (biomineralização).
  • Permite utilização em meio úmido sem alterar as suas propriedades.
  • Promove a reparação tecidual mais rápida.
  • Apresentação em monodoses para otimizar o tempo de trabalho.

Este material será manipulado pela Profa Patrícia Ferrari no Hands on durante o 3º Meeting de Endodontia, que acontece dia 5 de novembro no Manhattan River Center.

3º Meeting traz grandes nomes da Endodontia para o Piauí

Materiais dentários inovadores, mais biológicos e biocompatíveis são novidades que chegam por meio da ciência e das novas tecnologias e que serão abordados no 3º Meeting de Endodontia do Piauí. O evento, marcado para 5 de novembro deste ano promete ser um dia de muito aprendizado para quem deseja qualificar-se com grandes nomes da odontologia e preparar-se para o mercado de trabalho. Além de palestras, o meeting traz um “Hands on” com aula prática e discussão de temas complexos inseridos no dia a dia do Endodontista.

Palestrantes confirmados
Estão confirmados para o 3º Meeting nomes de peso da endodontia, como Patricia FerrariMestre e Doutora em Endodontia pela FOUSP, coordenadora dos cursos de Especialização e Atualização em Endodontia da APCD Santo André e autora do livro “A infecção endodôntica e sua resolução”. A Profa. Dra. Patrícia Ferrari, além da palestra,  vai ministrar um treinamento prático exclusivo: Manipulação e inserção dos cimentos biocerâmicos na obturação endodôntica e aplicação de reparadores Biocerâmicos em diversos casos clínicos do dia a dia do endodontista. O Hands On tem como objetivo compreender a biocompatibilidade e a bioatividade das biocerâmicas inseridas nos cimentos endodônticos e suas aplicações clínicas.

Outro nome de destaque é o Prof. Dr. Bruno Monguilhott Crozeta, Mestre em Odontologia Clínica/Endodontia – FOUP/PR, Doutor em Endodontia (FORP-USP/University of Texas – Houston/USA), coordenador do curso de especialização em Endodontia da Faculdade COESP – João Pessoa/PB, professor do curso de especialização em Endodontia APCD São Carlos/SP,  e consultor científico/Speaker Helse Ultrasonic.
A Palestra do Prof. Dr. Bruno Crozeta vai ensinar de forma dinâmica o que há de mais moderno e inovador sobre o “Uso do Ultrassom na Endodontia”.  Baseado em ciência e prática clínica, serão abordados vários temas através de uma visão contemporânea: Localização de canais, limpeza de áreas com desafios anatômicos, obturação, remoção de retentores intraradiculares e retratamento endodôntico.

Fecha o trio de palestrantes o Prof. Antonio Francisco Costa, Especialista em Radiologia Odontológica (PUCCAMP/SP),  Especialista em Periodontia – ACDC/CAMPINAS-SP, Especialista em Implantodontia ABO/PI, Mestrando em Radiologia e Estomatologia
SLMANDIC/ CAMPINAS-SP, e Diretor Técnico da Unidade de Diagnóstico Oral – UDO.
A palestra do Prof. Antonio Francisco Costa vai mostrar de forma objetiva os novos conceitos do FLUXO DIGITAL EM ODONTOLOGIA e sua aplicação no dia a dia da clínica odontológica, abordando o seu uso nas especialidades odontológicas tais como: Endodontia, Prótese, Cirurgia, Periodontia, Implantodontia e DTM.

Curso aborda Terapêutica Medicamentosa em Odontologia

A Delboni Dental Office realizou no dia 16 de agosto, data do aniversário de Teresina, uma aula de imersão com o Prof Jeorgio Leão, Mestre em Farmacologia, especialista em manipulação magistral alopática e coordenador acadêmicos dos cursos de Farmácia e Biomedicina da Facid | Wyden.

Como o tema “Terapêutica Medicamentosa em Odontologia”, o Prof Jeorgio discutiu e abordou  sobre o uso racional de anestésicos locais; prevenção e controle da dor; uso de antibióticos no tratamento ou na prevenção das infecções bacterianas bucais; e discussão de casos clínicos.

“Foi um dia muito especial. Além de ter sido o nosso primeiro curso, a turma reduzida de alunos propiciou maior aprendizagem e interação com o professor”, afirma a Profa Dra Maraisa Delboni, Diretora da Delboni Dental Office. Segundo ela, novos cursos serão abertos no decorrer do ano e boas surpresas estão por vir.

 

Clínica é destaque na Revista +Saúde

A Clínica Maraisa Delboni foi destaque na mais nova edição da Revista + Saúde, um periódico especializado em notícias da área de saúde. A reportagem fala um pouco da importância da avaliação odontológica de rotina para a manutenção dos dentes de maneira saudável e sobre como a tecnologia pode ajudar neste processo.

Se você não viu a revista, não tem problema. Clique na imagem abaixo e acesse ao conteúdo.