Odontologia

Odontologia

A Odontologia é área da saúde que estuda o sistema estomatognático: face, pescoço e cavidade bucal. A reconstrução desse sistema, seja com endodontia, implante, resina, cerâmica, ou mesmo prótese em acrílico, envolve um trabalho multidisciplinar com a finalidade de devolver saúde, função e consequentemente estética ao cliente.

A Odontologia é área da saúde que estuda o sistema estomatognático: face, pescoço e cavidade bucal. A reconstrução desse sistema, seja com endodontia, implante, resina, cerâmica, ou mesmo prótese em acrílico, envolve um trabalho multidisciplinar com a finalidade de devolver saúde, função e consequentemente estética ao cliente.

A discussão de qual é o melhor tratamento para um determinado paciente é sempre controversa, principalmente no momento de decidir por um retratamento endodôntico ou extrair um dente e colocar um implante. Portanto, faz parte da consulta odontológica a exposição de todas as possibilidades de tratamento explicando para o paciente as vantagens e desvantagens do planejamento clínico de cada procedimento.

A discussão de qual é o melhor tratamento para um determinado paciente é sempre controversa, principalmente no momento de decidir por um retratamento endodôntico ou extrair um dente e colocar um implante. Portanto, faz parte da consulta odontológica a exposição de todas as possibilidades de tratamento explicando para o paciente as vantagens e desvantagens do planejamento clínico de cada procedimento.

Os cuidados com a SAÚDE BUCAL estão evidenciando cada vez mais a PREVENÇÃO, porém a doença periodontal, a cárie, a erosão dental e traumas podem causar a perda dental. Não podemos criar a ideia de que a endodontia, prótese ou implante são tratamentos “definitivos”. Assim como um dente perdido, implantes podem necessitar de substituição.

Os cuidados com a SAÚDE BUCAL estão evidenciando cada vez mais a PREVENÇÃO, porém a doença periodontal, a cárie, a erosão dental e traumas podem causar a perda dental. Não podemos criar a ideia de que a endodontia, prótese ou implante são tratamentos “definitivos”. Assim como um dente perdido, implantes podem necessitar de substituição.

Slider

Muitas pessoas consideram-se saudáveis quando estão sem nenhuma doença, porém, a falta de enfermidades não significa saúde. Dizer que uma pessoa está saudável requer a análise de um conjunto de fatores, tais como a qualidade de vida e aspectos mentais e físicos.

Em 1946, a Organização Mundial de Saúde aprovou um conceito que visava ampliar a visão do mundo a respeito do que seria estar saudável. Ficou definido então que “a saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”.

De acordo com esse conceito, percebemos que saúde não é um estado fácil de ser alcançado, uma vez que nem todas as pessoas conseguem viver sem tristezas, sem preocupações e interagindo com o restante da sociedade de maneira harmoniosa.

A saúde deve ser vista como uma forma de TOTAL BEM-ESTAR, que é conseguido não só através do tratamento de doenças ou sua prevenção, mas sim através de qualidade de vida.

ENDODONTIA

A Terapia Endodôntica busca prevenir, diagnosticar e tratar alterações patológicas para reestabelecer a saúde da polpa e da região periapical dos dentes, sendo que o sucesso do tratamento começa com o correto diagnóstico. 

A especialidade passou por diversas épocas evolutivas devido ao seu desenvolvimento técnico científico, somando as mais variadas formas de aplicações clínicas: ÉPOCA DO EMPIRISMO (SÉCULO I – 1910), Era Mística (Século X), Era Científica – Fauchard (Século XVIII), Anestesia Geral – Horace Wells (1844), ÉPOCA DA INFECÇÃO FOCAL (1910-1928), depois o RESSURGIMENTO ENDODÔNTICO (1928-1936), SIMPLIFICAÇÃO ENDODÔNTICA (1940-1980) e ÉPOCA CONTEMPORÂNEA (atual). Nos últimos 20 anos ocorreu uma evolução técnica de intensa magnitude, atingindo patamares não observados em toda sua história.

Apesar dos incríveis avanços tecnológicos, o Tratamento Endodôntico requer daqueles que a praticam o máximo de habilidade manual, sensibilidade tátil, delicadeza no manuseio dos instrumentos, domínio técnico, concentração, assim como de uma grande dose de paciência e aplicação constante dos princípios biológicos. 

Os procedimentos clínicos dependem da sensibilidade visual e tátil do operador. Esses predicados técnicos são particularmente exigidos, uma vez que a cavidade pulpar, campo de ação do Endodontista, apresenta dimensões reduzidíssimas, além disso apresenta as mais variadas conformações anatômicas que dificultam nossa visualização direta.

Todas essas habilidades podem ser adquiridas com treinamento específico. Atualmente, o tratamento pode ser realizado em sessão única com um passo a passo simples devido ao auxílio da tecnologia endodôntica da nova era contemporânea. 

Inflamações pulpares e periodontites apicais crônicas persistentes estão associadas com comunidades bacterianas complexas, o que aumenta potencialmente os riscos de problemas vasculares, e isto sem dúvida nos alerta para o acompanhamento clínico constante. 

A população está envelhecendo, portanto devemos incluir a manutenção (proservação) de tratamentos realizados no planejamento clínico a longo prazo. Os cuidados com a saúde geral como check-up cardiológico e saúde bucal como check-up odontológico devem ser realizados por toda vida!

ODONTOLOGIA ESTÉTICA

A beleza é encontrada na harmonia facial que é causadora da primeira impressão que transmitimos para as outras pessoas. A Odontologia Estética atualmente possui recursos modernos, para intervenções cirúrgicas ou superficiais nos dentes. 

Apesar de existir beleza em um conjunto harmonizado e equilibrado, A Odontologia Estética não se refere somente a aparência, mas ao funcionamento adequado de dentes que já estiveram comprometidos e foram restaurados, alterando suas características originais, o que pode resultar em problemas na mastigação, no sorriso, sobrecarga de uma região e desgaste excessivo, por isso, os cuidados com o trabalho de readequar as propriedades normais dos dentes e sua funcionalidade são tão importantes. 

A Dentística ou Odontologia Estética é o ramo da Odontologia que atua na área da cosmética, com materiais que causem menos impacto no organismo e sejam menos perceptíveis aparentemente, como resinas, e restauração dental e facetas, além de investigar a mecânica buco-maxilar-facial, e realizar intervenções cirúrgicas menores.

PERIODONTIA

A Doença Periodontal é a especialidade odontológica responsável pela prevenção e tratamento das doenças que acometem os tecidos de sustentação (osso) e proteção dos dentes (gengiva), sendo a principal causadora da perda de dentes em adultos. 

O sinal característico da Doença Periodontal é o sangramento gengival, mas devemos estar atentos também para: alterações na posição dos dentes, mobilidade, retrações gengivais, retenções de alimento, inchaço etc. 

Com o decorrer do tempo, placas bacterianas são formadas em volta dos dentes, caso o paciente não realize a limpeza corretamente e não faça visitas periódicas ao dentista a gengiva começa demostrar sinais de inflamação (sangramento, inchaço, vermelhidão) dando início a gengivite (acomete tecidos de proteção como a gengiva). Quando a gengivite não é tratada ela tende a evoluir para uma periodontite (acomete tecidos de sustentação como osso, cemento e ligamento periodontal), onde há formação de um espaço entre a gengiva e o dente, chamado de bolsa periodontal, a qual favorece o acúmulo de resíduos alimentares e bactérias.

A Doença Periodontal pode deixar como sequelas alterações estéticas como: deslocamento na posição do dente, retração gengival com consequente aumento no comprimento do dente, que através de procedimentos cirúrgicos e protéticos podem minimizar esses defeitos. A prevenção pode ser feita removendo a placa bacteriana através de limpeza bucal doméstica com fio dental e escova, mais limpezas periódicas feitas pelo dentista. Quando os instrumentos de raspagem não atingem toda área da raiz comprometida, as cirurgias periodontais são indicadas para facilitar o acesso.

IMPLANTODONTIA

A Implantodontia é uma especialidade da Odontologia que visa reabilitar a cavidade oral repondo cirurgicamente um ou mais dentes ausentes através de implantes dentro do osso da mandíbula e/ou maxilar.

Além da função estética, essa especialidade visa garantir a reabilitação das funções orais do paciente, que são prejudicadas pela falta de dentes, como fonética e mastigatória. Os materiais usados na implantodontia geralmente são feitos à base de titânio, como os pinos que compõem a prótese, capazes de se unir ao osso, esses devem possuir um extremo grau de qualidade para garantir a segurança do paciente. O titânio é um material biocompatível, o que contribui para a rapidez e precisão do procedimento, que costuma oferecer bons resultados e uma recuperação rápida. 

A cirurgia consiste em instalar uma pequena peça feita com titânio no osso, particularmente, onde havia um dente antigamente. Depois que o implante já foi realizado, é importante esperar a integração ao osso acontecer. Nesse tempo, é normal utilizar uma coroa provisória para evitar a perda do espaço e já dimensionar como será o dente de cerâmica sobre o implante.

Passado o período determinado, os dentes artificiais de material mais resistente são colocados ou parafusados sobre o implante. Eles podem ser encaixados individualmente ou agrupados em dois tipos de próteses principais. São elas:

  • a overdenture: bastante similar às próteses removíveis naturais, porém mais estável, essa prótese é feita com acrílico, necessita apenas de 2 a 6 implantes e pode ser removida pelo próprio paciente.
  • a protocolo: feita de porcelana ou de resina, que é fixada com 4 a 8 implantes e que é parafusada, podendo ser retirada somente pelo dentista..A Dentística ou Odontologia Estética é o ramo da Odontologia que atua na área da cosmética, com materiais que causem menos impacto no organismo e sejam menos perceptíveis aparentemente, como resinas, e restauração dental e facetas, além de investigar a mecânica buco-maxilar-facial, e realizar intervenções cirúrgicas menores.

No entanto, é muito importante mencionar que o paciente deve ter gengivas saudáveis e quantidade de osso suficiente para sustentar o suporte. Caso a pessoa tenha deficiência óssea é possível realizar um enxerto e criar uma base para a anexação das estruturas, contudo, o procedimento pode variar de paciente para paciente. Existem contraindicações para pacientes que não controlaram as seguintes doenças: diabetes; tabagismo; tuberculose; doenças do sistema nervoso central; hipertonia dos músculos da mastigação; hipertensão; doenças do coração; e estomatite e outras doenças da cavidade oral. 

Além disso, se a pessoa for identificada com inflamação de tecidos e gengiva, má higiene bucal e presença de cárie, principalmente próximo ao local pretendido para o tratamento, ela deve tratar antes.

ORTODONTIA

Ortodontia é uma especialidade odontológica que corrige a posição dos dentes e dos ossos maxilares posicionados de forma inadequada. Dentes tortos ou dentes que não se encaixam corretamente são difíceis de serem mantidos limpos, podendo ter maior risco de cárie. Dentes mal posicionados também prejudicam a aparência.

O tratamento ortodôntico torna a boca mais saudável. A oclusão errada dos dentes podem causar um estresse adicional aos músculos da mastigação trazendo dores de cabeça, síndrome da ATM e dores na região do pescoço, dos ombros e das costas.

Se você apresenta algum dos problemas abaixo, pode ser um candidato para o tratamento ortodôntico: 

Harmonização Facial é um conjunto de procedimentos estéticos combinados para melhorar a harmonia do rosto, transformando os traços e tratando o envelhecimento facial, caracterizado pela perda da elasticidade da pele, queda dos tecidos, músculos e gordura. 

A técnica pode ser realizada por homens e mulheres, mas antes é preciso saber quais os pontos a serem melhorados no rosto. Para isso, é necessária a avaliação de um profissional da área.

Uma aparência de “bulldog”, quando a arcada inferior está projetada muito à frente ou a arcada superior se posiciona muito atrás.

Ocorre quando a arcada superior não fica ligeiramente à frente da arcada inferior ao morder normalmente.

Espaço entre as superfícies de mordida dos dentes anteriores e/ou laterais quando os dentes posteriores se juntam.

Ocorre quando o centro da arcada superior não está alinhado com o centro da arcada inferior.

Falhas, ou espaços, entre os dentes como resultado de dentes ausentes ou dentes que não preenchem a boca.

Ocorre quando existem dentes demais para se acomodarem na arcada dentária pequena.

Problema caracterizado por um excesso vertical da região anterior da maxila e/ou uma sobre-erupção dos dentes dessa região. Nos casos de sobremordida, os dentes anteriores superiores recobrem quase 100% dos dentes inferiores, conferindo um sorriso desagradável e problemas mastigatórios.

CIRURGIAS ODONTOLóGICAS

São ações que possibilitam a remoção de tecidos comprometidos por doença, trauma ou indicação eletiva por estética, com o objetivo de recuperar a saúde e o bem-estar do paciente. Há também técnicas de reposição de tecidos comprometidos, enxertos, sejam eles de tecido gengival ou ósseo, com o objetivo de viabilizar tratamentos reabilitadores.

Sugestões?
Entre em contato!




Sugestões?
Entre em contato!