Pacientes oncológicos ou com osteoporose precisam de check up odontológico antes de iniciar o tratamento

A OSTEONECROSE DOS MAXILARES ESTÁ ASSOCIADA AO USO DE BIFOSFONATOS

Os bifosfonatos são utilizados no tratamento da osteoporose e no controle da progressão do envolvimento ósseo por câncer, especialmente mieloma múltiplo e neoplasias metastáticas de mama e próstata. O risco de desenvolvimento de necrose óssea é proporcional à forma de utilização e à potência relativa dos medicamentos, sendo que o zolendronato e pamidronato apresentam maior risco.

Essas drogas apresentam níveis baixos de excreção e possuem elevada adesão ao tecido ósseo, seus efeitos podem perdurar durante anos, mesmo após a suspensão de uso. Como consequência, dificulta a formação óssea (remodelação), limitando alguns procedimentos odontológicos.

As áreas de necrose óssea nos maxilares geralmente ocorrem após cirurgias dentárias, como as exodontias, mas o quadro pode surgir espontaneamente ou motivado por doença periodontal ou trauma por próteses mal adaptadas.

O tratamento endodôntico tem sido sugerido como uma alternativa para as exodontias com o intuito de prevenir o desenvolvimento de osteonecrose, em alguns casos pode ser associada à cirurgia perirradicular, na tentativa de “salvar” o dente e evitar procedimentos mais invasivos.

O tratamento da osteonecrose envolve manobras conservadoras, incluindo antibioticoterapia e remoção das áreas de osso necrótico. Os procedimentos cirúrgicos mais amplos estão reservados para situações específicas, nas quais o tratamento conservador não chegaria ao resultado desejado.

O ideal para estes pacientes é fazer o CHECK UP ODONTOLÓGICO prévio ao início da terapia com bifosfonatos, para que os procedimentos cirúrgicos e a adaptação das próteses sejam realizadas antes que os efeitos no osso alveolar ocorram.

Compartilhe