Pesquisa sobre microbiologia endodôntica recebe premiação na SBPqO 2018

O grupo de pesquisa sobre Microbiologia Endodôntica, sob a orientação da Profa. Dra. Brenda Paula de Almeida Gomes, o qual a Profa Dra. Maraisa Delboni participa desde 2002, recebeu PREMIAÇÃO na SBPqO com o trabalho apresentado pela Dra Priscila Amanda Francisco, intitulado: Expressão proteica da patogenicidade microbiana e resposta imune do hospedeiro no insucesso endodôntico. Os achados podem indicar uma interação complexa entre o sistema imune do hospedeiro e a infecção endodôntica.

Sobre a SBPq
A Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica – SBPqO, é uma Associação que representa a Divisão Brasileira da International Association for Dental Research – IADR. Atualmente é a maior divisão na América Latina e uma das mais representativas da IADR no mundo. As Reuniões Anuais da SBPqO se consolidaram como o evento mais importante em pesquisa do país, na área da Odontologia com cerca de 4000 participantes anualmente, com representantes de todos os estados brasileiros. Participam alunos de graduação, pós-graduação, professores e pesquisadores, esses participantes se caracterizam por serem os atuais formadores de opinião no Brasil. A Reunião é planejada, realizada e mantida por sócios que acreditam no mesmo ideal: o incentivo, o desenvolvimento e a divulgação da pesquisa científica odontológica.

Resumo do Trabalho

Expressão proteica da patogenicidade microbiana e resposta imune do hospedeiro no insucesso endodôntico
Priscila Amanda Francisco*, Maraísa Greggio Delboni, Augusto Rodrigues Lima, Yizhi Xiao, Walter Luiz Siqueira, Brenda Paula Figueiredo de Almeida Gomes.

O rastreio proteômico de comunidades microbianas é importante por fornecer uma visão sobre os mecanismos de patogenicidade e interações entre microrganismos do canal radicular e hospedeiro na persistência ou ressurgimento da periodontite apical. O objetivo deste estudo foi caracterizar o proteoma de 20 canais radiculares de dentes com insucesso do tratamento endodôntico por espectrometria de massa. Vinte pacientes com periodontite apical e necessidade de retratamento endodôntico foram selecionados. Amostras do conteúdo do canal radicular foram coletadas e processadas por cromatografia líquida bidimensional capilar nano-flow e espectrometria de massa tandem de ionização por electrospray. Os espectros adquiridos foram pesquisados ​contra banco de dados de proteínas específicas (Swiss PROT e TREMBL). A maior prevalência de proteínas encontradas estava relacionada às funções biológicas, como processos celulares e metabólicos. Um número considerável de proteínas microbianas com relevância clínica funcional como patogênese/virulência, proteólise, adesão celular e resistência a drogas, foi encontrado. Patógenos endodônticos comuns relacionados ao insucesso do tratamento endodôntico tais como Enterococcusspp; Propionibacterium spp; e Streptococcusspp, foram associados com 23; 40; e 94 proteínas distintas, respectivamente. Em relação as proteínas humanas, foram detectados vários fatores relacionados ao processo do sistema imunológico. Esses achados podem indicar uma interação complexa entre o sistema imune do hospedeiro e a infecção endodôntica.

(Apoio: FAPESP 15/23479-5, 15/19215-2, 16/19743-1; CNPq 308162/2014-5, 140944/2017-6; CAPES).

Keywords:  bacteria, proteomics, periapical periodontitis

Compartilhe