TRATAMENTOS

Checkup odontológico (PRIMEIRA CONSULTA)
O Checkup Odontológico é uma visita realizada ao dentista com periodicidade para uma avaliação clínica e radiográfica minuciosa através do exame dos dentes e das gengivas utilizando microscópio e tomografia computadorizada. Esta avaliação garante o seu sorriso saudável e pode evitar tratamentos longos, cirurgias e até a retirada de dentes.
Há casos em que a consulta pode ser anual, isso vai depender da situação de cada pessoa. “Pacientes que possuem inúmeras restaurações, histórico lesões de cáries ou doenças da gengiva são considerados de risco. Para esses pacientes estão indicados a revisão semestral e limpeza com maior frequência. Já para aqueles que praticamente não possuem restaurações e têm gengivas saudáveis, além de não fumarem, as revisões podem ser mais espaçadas, 1 vez por ano”.

Limpeza (Profilaxia)
A limpeza completa em consultório é realizada com escovas rotatórias com pasta profilática e jatos de bicarbonato de sódio para limpar todas as regiões da estrutura dental e a parte mais interna das gengivaspara a prevenção ou remoção de placa bacteriana (biofilme) e tártaro, que ficam aderidos aos dentes e não saem com a higienização caseira. Pode ser necessário também o processo de raspagem com instrumentos específicos para garantir a total remoção da placa e do tártaro. A limpeza dental realizada no consultório não substitui a higienização bucal realizada em casa após as refeições e antes de dormir.

Exame Radiográfico
O exame radiográfico é realizado com o Raio-X de consultório para verificar se há algum problema “escondido”, como uma cárie entre os dentes (Rx interproximal) ou lesões intraósseas como os cistos associados ou não às raízes (Rx interproximal). Além disso, serão solicitados mais exames complementares realizados em clínicas de radiologia, como as tomografias computadorizadas cone-beam para uma avaliação intra-óssea tridimensional mais abrangente.

 ENDODONTIA: Diagnóstico pulpar e periapical
A endodontia busca prevenir, diagnosticar e tratar alterações patológicas para reestabelecer a saúde da polpa e da região periapical.

Tratamento Endodôntico de dentes permanentes (adultos e crianças)
A terapia endodôntica consiste na remoção da polpa coronária e radicular que sofreu dano devido as alterações por inflamação e/ou infecção microbiana ou trauma mecânico. O objetivo principal do tratamento é a desinfecção do sistema de canais radiculares seguido da obturação, fornecendo condições para cicatrização dos tecidos perirradiculares.  Durante o procedimento utilizamos (a) brocas diamantadas para a abertura coronária, (b) microscópio operatório e aparelhos de ultra-som para detecção da entrada dos canais, (c) limas manuais e rotatórias acionadas por motores elétricos para a completa remoção do tecido pulpar, (d) insertos de ultra-som associado à substâncias químicas para a desinfecção, (e) obturação com cones de guta-percha e cimentos biocerâmicos para favorecer a cicatrização dos tecidos periapicais e (f) selamento da embocadura dos canais com resina fluida fotopolimerizável para impedir a reinfecção por microrganismos.

Tratamento endodôntico em SESSÃO ÚNICA
A sessão única, sessão prolongada ou consecutiva busca a conclusão do tratamento em menor tempo trazendo inúmeras vantagens para o prognóstico e para os pacientes. Quanto menor for o número de sessões, menores chances de infiltração coronária por microorganismos presentes na saliva.

Day Clinic
O Day Clinic é o dia da consulta agendada para um tratamento específico, porém pacientes que não residem em Teresina ou com dificuldade de agendamento de horário preferem sessões prolongadas ou consecutivas otimizando o tempo para seus tratamentos específicos.

Flare-up (dor entre sessões ou após o início do tratamento endodôntico)
Flare-upé a dor e/ou inflamação na área do dente tratado endodônticamente que ocorre dentro de algumas horas ou dias, onde sintomas clínicos (dor de dente ao mastigar ou espontaneamente, edemas intra e extra orais) são fortemente expressos, requerendo consultas de urgência agendadas por parte dos pacientes.

Os fatores associados a esta indesejável condição englobam lesões químicas, mecânicas e microbianas na polpa (tratamento expectante) e tecidos perirradiculares, que são induzidos ou exacerbados durante o tratamento do canal radicular, podendo ser influenciados pelo estado geral de saúde, condição do tecido periodontal apical, sintomas clínicos associados (bruxismo, dores faciais) e medicação intracanal utilizada.

Reintervenção endodôntica
Retratamento Endodôntico
Remoção de instrumentos “separados” intracanal
Remoção de coroas e pinos intraradiculares
Cimentação de pino fibra de vidro
Clareamento dental interno
Tratamento de reabsorções internas
Vedamento de perfurações de furca e rasgos radiculares
Trauma dental
Drenagem de abcesso periapical
Tratamento expectante (capeamento pulpar)
A exacerbação aguda da patologia perirradicular após o início ou ao final do tratamento endodôntico sugere a presença de cistos ou granulomas periapicais.

Tratamento endodôntico de dentes decíduos
Cirurgia Parendodôntica (cistos periapicais)
Urgência em Endodontia
Acompanhamento de dentes tratados (Proservação de casos clínicos)
O acompanhamento de dentes tratados endodonticamente vai depender do caso clínico apresentado pelo paciente. “Pacientes que possuem histórico lesões periapicais (cistos ou granulomas) está indicado a revisão a cada 3 meses com exames clínicos e radiográficos. Já para aqueles que não possuíam infecções periapcais, as revisões podem ser mais espaçadas, 1 vez por ano”.

INFORMAÇÕES CLÍNICAS PARA PACIENTES

 Recomendações pós-operatórias (Endodontia)

  1. Não ficar “testando o dente” com toques de percussão para saber se a dor diminuiu.
  2. Vigie para não ficar com os dentes em oclusão constante, quando em repouso.
  3. Escovação normal dos dentes e língua.
  4. Passar cremes protetores nos lábios para mantê-los lubrificados, evitando ressecamentos.
  5. Observar se está sentindo o dente mais alto que os demais, se houver sensação de dente “crescido”, entre imediatamente em contato.
  6. Caso haja febre alta, edema e dificuldade de abrir a boca ou dor persistente, entre imediatamente em contato.
  7. Seguir rigorosamente os horários das medicações prescritas.
  8. Se sentir dor mesmo após alguns dias de tratamento, ou perceber o surgimento de fístulas, entrar novamente em contato.
  9. Restaurar o dente tratado endodonticamente o mais breve possível.

10. Agendar consultas periódicas para acompanhamento do tratamento através de exames clínicos e radiográficos.

Recomendações pós-cirúrgicas

  1. Evitar: exposição ao sol, alimentos quentes e duros e esforços físicos, pelo menos até o retorno para remoção dos pontos.
  2. Dieta (alimentação) líquida ou pastosa e fria por, no mínimo, 48h (leite, suco, etc.).
  3. Descansar e dormir com a cabeça mais elevada (ficar sentado(a) ao des- cansar e colocar travesseiros sob a cabeça na hora de dormir), evitando abaixar.
  4. Escovação normal dos dentes e língua, evitando as áreas da cirurgia.
  5. Fazer bochechos leves e passivos 3 vezes ao dia com anti-séptico bucal, iniciando somente 24 horas após a cirurgia.
  6. Fazer compressas com gelo no lado externo (rosto) nas primeiras 24 horas, durante 20 minutos e descansar 20 minutos.
  7. Passar cremes protetores nos lábios para mantê-los lubrificados, evitando ressecamentos.
  8. Caso haja febre alta, edema e dificuldade de abrir a boca por mais de três dias, dor persistente ou sangramento exagerado, entre imediatamente em contato.
  9. Seguir rigorosamente os horários das medicações prescritas.

Higiene bucal
Uso de anti-sépticos

Compartilhe