Tecnologias

Tecnologias

O tratamento de canal é um procedimento clínico onde quanto mais inovações tecnológicas agregadas maior a previsibilidade das etapas executadas, facilitando o tratamento e permitindo um prognóstico mais favorável aos pacientes. Antigamente, o tratamento de canal era realizado na obscuridade, tendo como auxiliar apenas os exames de imagens. Atualmente, o cirurgião-dentista atua com mais segurança e obtendo maior índice de sucesso.

O tratamento de canal é um procedimento clínico onde quanto mais inovações tecnológicas agregadas maior a previsibilidade das etapas executadas, facilitando o tratamento e permitindo um prognóstico mais favorável aos pacientes. Antigamente, o tratamento de canal era realizado na obscuridade, tendo como auxiliar apenas os exames de imagens. Atualmente, o cirurgião-dentista atua com mais segurança e obtendo maior índice de sucesso.

Slider

Microscópio Operatório

O microscópio operatório (40x aumento) é utilizado para minimizar a obscuridade do campo operatório e nos proporcionar alta magnificação e luminosidade, favorecendo a visualização dos procedimentos e proporcionando um resultado de maior qualidade, com índices de sucesso mais elevados. 

A Endodontia por se tratar de uma especialidade em que os procedimentos clínicos dependem da sensibilidade táctil do operador, o microscópio operatório auxilia imensamente na localização de canais calcificados e principalmente no diagnóstico de fraturas dentárias.

Monitores de transmissão

As intervenções em Endodontia necessitam de magnificação e ampliação da imagem na maioria dos procedimentos. A transmissão ao vivo do tratamento clínico aumenta o engajamento entre pacientes e dentistas. Monitores ligados ao microscópio operatório transmitem e registram as imagens de todas as etapas do tratamento, o que facilita esclarecer aos pacientes alguns procedimentos realizados dentro dos canais e suas dificuldades. Esta ferramenta também é utilizada durante as aulas e demonstrações realizadas nos cursos oferecidos no consultório.

Rx digital

A tecnologia do Raio x digital nos permite obter uma imagem mais rápida, facilitando a visualização e com uma resolução de qualidade superior ao convencional. 

O SENSOR DIGITAL é utilizado para processar instantaneamente a imagem radiográfica em imagem digital. A visualização é feita através de um software que nos permite fazer medições, revelar, usar lupas, fazer inversão de cores, colorir as densidades radiopacas, desenhar sobre a imagem e assim interagir mais com os pacientes durante o planejamento do tratamento.

A imagem pode ser feita durante os procedimentos clínicos e salvas diretamente na ficha digital do paciente. O armazenamento e o envio dos dados facilitam o tratamento multi-disciplinar entre profissionais quando necessário. O processo de revelação é isento de filmes e produtos químicos, não causando prejuízos ao meio ambiente.

Rx portátil de baixa radiação

O Díox é um Raio-x portátil de alta frequência produzido no Brasil, sua tecnologia garante uma melhor qualidade de imagem radiográfica com uma emissão constante de radiação em relação aos geradores tradicionais. Os níveis de exposição a radiação são menores comparado ao analógico. Com este equipamento conseguimos diminuir o tempo das tomadas radiográficas feitas durante o tratamento endodôntico.

Ultra-som

O ultra-som é um aparelho com efeito mecânico-vibratório que pode ser utilizado antes, durante e após a instrumentação dos canais radiculares para aumentar as propriedades de limpeza e desinfecção pela sua capacidade de cavitação e movimentação de fluidos que resultam no deslocamento de debris dentinários. Substâncias irrigantes anti-sépticas são utilizadas simultaneamente com insertos finos e longos acoplados ao ultra-som potencializando o fluxo de líquidos no interior dos condutos e a ação do agente químico. 

A presença da chamada “lama dentinária” ou “smear layer” aderida nas paredes do canal radicular após a instrumentação pode contribuir para o insucesso do tratamento favorecendo a infiltração porque impede a ação da solução irrigadora no interior dos túbulos dentinários. A remoção destes “debris” aumenta a permeabilidade dentinária tornando mais efetiva a descontaminação.

O mecanismo de ação das pontas ocorre pela transmissão de energia acústica através de ondas ultrassônicas ao inserto de ultra-som que repassa essa energia e vibração à solução irrigadora fazendo com que ela induza o fluxo acústico e o efeito de cavitação sobre os irrigantes.  Assim, ocorre uma intensa movimentação da solução no interior dos canais.

O efeito de cavitação ocorre com a formação de bolhas na solução irrigadoras as quais implodem promovendo o aumento de temperatura e pressão resultando em ondas de impacto contra as paredes dos canais radiculares. Com isso, a solução irrigadora penetra mais facilmente nas irregularidades dos canais e promove uma maior limpeza.

ATENÇÃO:

Para que ocorra a cavitação e o fluxo acústico é necessário que o dispositivo ultrassônico tenha uma potência adequada, além de um espaço mínimo livre entre as paredes do canal para que não haja interferência na ponta do inserto. Se não houver espaço suficiente para ponta trabalhar, ocorrendo interferências, a limpeza será prejudicada tornando o procedimento menos eficiente. Devido as características anatômicas dos canais radiculares a ativação ultrassônica pode ser menos efetiva no terço apical quando comparada ao terço cervical. 

O ultrassom traz inúmeras vantagens para a endodontia, como seu uso na remoção de obstruções causadas por limas fraturadas, cones de prata, cones de guta-percha e pinos protéticos metálicos ou de fibra de vidro presentes no interior do canal radicular. Além disso, existem pontas lisas e diamantadas que auxiliam em diversas etapas do tratamento, como na abertura coronária, na detecção de canais atrésicos e instrumentação de ístmos, desobturação de canais durante o retratamento, instrumentação retrógrada feita após apicectomias e corte de guta-percha na embocadura dos canais ao finalizar o tratamento.

Motores elétricos

Os motores elétricos são utilizados para a instrumentação dos canais com movimentos rotatórios e reciprocantes, os quais ajudam a modelar o canal de forma mais centralizada e otimiza o tempo, aumentando a qualidade da limpeza e desinfecção. Os motores são silenciosos e mais seguros porque possuem controle de torque e velocidade. Avanços tecnológicos da Endodontia trouxeram novos instrumentos fabricados para serem acionados por motores elétricos gerando uma cinemática de rotação contínua, diminuindo o tempo operatório.

O movimento rotatório em 360° no sentido horário permite o corte da dentina simultaneamente ao avanço do instrumento para o interior do canal radicular e a extrusão para região cervical de debris dentinários produzidos no preparo mecânico. A realização de movimentos pelo operador, como movimento de entrar e sair (“in-and-out motion”), picada (“pecking motion”), e pincelamento (“brush motion”) proporcionam maior contato da lima rotatória com as paredes do canal radicular, aumentando sua efetividade de desinfecção.

Limas rotatórias

A limas rotatórias e reciprocantes são fabricadas por usinagem contendo liga de Níquel titânio (NiTi) que produzem cortes de dentina mais efetivos e preparos mais uniformes. Uma nova composição metálica específica (M-wire) e tratamento térmico recente na liga de NiTi vem sendo bastante utilizado pelos fabricantes, denominado de “Control-Memory wire” (liga de controle de memória). As limas fabricadas com essa alteração apresentam grande flexibilidade e ausência de memória elástica, permitindo assim o pré-curvamento do instrumento e um melhor desempenho no preparo de canais radiculares com curvaturas acentuadas.

 

A conicidade destes instrumentos, modelam as paredes dentinárias do sistema de canais radiculares de forma mais suave promovendo o acesso livre e direto à zona crítica apical e possuem “design” específico para conter a extrusão apical de “debris”. As limas proporcionam uma ampliação segura, mais centralizada e contínua do canal que conferem um resultado final de alta qualidade e são de “USO ÚNICO”, ou seja, um instrumento para cada paciente.

Localizador apical

Um dos assuntos mais controversos em Endodontia se refere ao limite apical de instrumentação e obturação, ou seja, o ponto mais apical que os instrumentos devem atingir durante a instrumentação e o material obturador deve ser aplicado durante a obturação. Do ponto de vista biológico, é necessário que o preparo químico e mecânico atinjam toda a extensão do canal radicular, visto que bactérias podem estar localizadas próximas ou mesmo no forame apical. Do ponto de vista mecânico, dada a anatomia da região apical da raiz, é necessária a confecção de um batente apical que proporcione o travamento do material obturador, impedindo seu extravasamento para os tecidos perirradiculares.

O Localizador apical é um aparelho que utiliza o “ratio method” para localizar o forame apical (término do canal radicular). O método consiste na medição simultânea da impedância de duas ou mais frequências separadas, um quociente das impedâncias é obtido e expresso como a posição da lima no interior do canal radicular. Na instrumentação dos canais radiculares, o limite ideal de trabalho é a junção cemento-dentinária, mas na maioria das vezes, não é possível detectar clinicamente devido a sua grande variabilidade de localização. Portanto, o uso de localizadores apicais eletrônicos se torna imprescindível para sinalizar medições confiáveis da constrição apical, auxiliando no sucesso do tratamento endodôntico.

Termoplastificador de guta-percha

A guta-percha é um material obturador biocompatível com propriedades físicas e químicas adequadas para ser utilizada no tratamento endodôntico. O termoplastificador de guta-percha auxilia na acomodação do material obturador no interior dos canais radiculares proporcionando um selamento mais tridimensional e prevenindo a reinfecção pós tratamento.

Fotopolimerizador

O Fotopolimerizador é um aparelho de luz no espectro azul com comprimento de onda de aproximadamente 670 nanômetro que ativa o bis-gma da resina ou cimentos odontológicos favorencendo o tempo de preza, como utilizado na restauração em resina foto-ativada. O uso do fotopolimerizador serve também como apoio para procedimentos de cimentação de pinos e coroas.

Autoclave

A Autoclave permite o processo de esterilização por calor úmido, na forma de vapor saturado sob pressão, sendo o mais seguro, rápido e eficiente disponível para instrumentos termo-resistentes, sendo o equipamento mais recomendado pela vigilância sanitária.

Sugestões?
Entre em contato!




Sugestões?
Entre em contato!